O Cine Atlântico homenageia o realizador António de Macedo


O Cine Atlântico 
- Mostra de Cinema Português Mar e Ilhas - 
homenageia o realizador 
ANTÓNIO DE MACEDO



No dia 18 de novembro, sábado, o Cine Atlântico homenageia o realizador António de Macedo com a exibição do filme Nos Interstícios da Realidade – O Cinema de António de Macedo, de João Monteiro, pelas 18h30, com a presença do realizador João Monteiro e da filha de António de Macedo, Susana de Sousa Dias 

Este brilhante documentário dirigido por um dos diretores do Motel X – Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa é, por si só, uma grande homenagem à obra de António de Macedo, o cineasta mais prolífico da geração do “Novo Cinema Português”, movimento que aliás ajudou a fundar através do filme Domingo à Tarde. 

A ousadia estética de filmar A Promessa, a partir da peça de Bernardo Santareno, como um “western”, juntamente com o seu sucesso junto do público, provocaria uma clivagem irreversível junto dos seus pares e da crítica nacional. Na verdade, António de Macedo é um cineasta único, interessado em explorar as possibilidades tecnológicas em desenvolver um cinema de cariz fantástico. Por isso a sua obra é difícil de classificar no seio do cinema português. 

Lutou arduamente contra os cortes que a Censura do Estado Novo lhe impôs, antes e depois do 25 de Abril, quando a Igreja Católica tentou impedir a estreia de As Horas de Maria, o mais “blasfemo” filme português e mais polémico de sempre. Experimentaria ainda a alegoria esotérica em O Princípio da Sabedoria, o sobrenatural em Os Abismos da Meia-Noite e a ficção científica em Os Emissários de Khalôm, filmes sempre recebidos com entusiasmo pelo público e desprezados pela crítica. António de Macedo desistiria de filmar nos anos 90, após sucessivas recusas de subsídios estatais. 


Esta é uma das histórias do cinema português que falta contar. A estreia de Nos Interstícios da Realidade – O Cinema de António de Macedo, documentário de João Monteiro sobre a vida e obra do cineasta António de Macedo, recentemente falecido, vem recordar-nos o seu papel fundamental na história do cinema português e a sua obra única, mas é também um olhar sobre o conservadorismo que caracteriza o pensamento cultural português.


Sobre JOÃO MONTEIRO
Nascido em Maio de 1977. Licenciado em História de Arte e freelancer na área do cinema. Membro fundador do CTLX - Cineclube de Terror de Lisboa, cuja actividade principiou em 2005, e do MOTELx - Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa, nascido em 2007, do qual é co-organizador e programador, tendo trazido a Portugal nomes como Zé do Caixão, George Romero, Tobe Hooper, Alejandro Jodorowsky ou Roger Corman. Ainda na área do cinema, foi colaborador de revistas como "Blimunda" e "Bang!" e realizou um documentário sobre a vida e obra de António de Macedo, Nos Interstícios da Realidade ou O Cinema de António de Macedo, filme de encerramento do Doc Lisboa 2016.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Cine Atlântico - Mostra de Cinema Português Mar e Ilhas

Cine-Atlântico arranca quinta-feira com nove filmes portugueses